ABCHD Recuperação de dados e arquivos perdidos

Fone: 11- 4458 0615

Fone: 11- 4474 1077

Whatsapp: 11- 97629 0886

labEm 1985, dois irmãos ainda na adolescência, juntaram suas economias de muitos meses e compraram aquilo que parecia ser um sonho e que até aquele momento só haviam visto em filmes de ficção científica, um computador. O modelo, um "TK 82", era bem diferente dos computadores que usamos hoje. Na verdade a máquina toda se resumia ao teclado, não havia monitor, HD e CD, DVD ou USB nem pensar e tinha uma memória de 16Kbytes, que hoje é ridícula, mas acredite, na época ninguém achava que um dia precisaria mais do que isso. Pra funcionar era preciso liga-lo a uma televisão, que fazia as vezes de monitor e também a um gravador cassete comum, daqueles que gravavam fitas de música e que hoje nem existem mais, só que nesse caso, ao invés de músicas eram gravados dados nessas fitas.

Ainda não havia sistema operacional ou qualquer software vendido comercialmente. A informática, que ainda nem tinha esse nome, estava apenas começando e a rádio "USP" de São Paulo passou a transmitir um programa aos sábados para aqueles que já se aventuravam naquele estranho mundo novo. Nesse programa eles davam algumas dicas, faziam comentários sobre os primeiros programas que estavam sendo lançados e no fim sempre transmitiam algum para download, isso mesmo, os softwares eram baixados pelo rádio, eles davam um sinal avisando que a transmissão iria começar e quem estava em casa tinha que apertar as teclas "REC" e "PLAY" do gravador para salvar o software na fita. Era um sofrimento, pois qualquer interferência externa interrompia o download e mesmo quando se conseguia baixar o software inteiro, como não tinha onde instalar, então ele tinha que ser executado direto pelo gravador e aí estávamos sujeitos à variação da velocidade de rotação da fita e das falhas de ajuste de azimute das cabeças de reprodução do gravador. Mesmo com todos esses problemas o interesse pelo assunto só aumentava e logo eles já possuíam uma coleção razoável de fitas com softwares gravados.

labPois num belo dia, ao chegarem em casa notaram que estavam faltando três fitas e depois de procurar descobriram que sua mãe havia usado as fitas pra gravar uns discos que tinha conseguido emprestado e que das três fitas, duas ela realmente apagou e gravou os discos e uma enrolou dentro do mecanismo do gravador e saiu toda amassada ficando inutilizada. Eles tentaram muito recuperar os arquivos daquelas fitas mas evidentemente não conseguiram. Não demorou muito e surgiu o primeiro computador com disco rígido e eles passaram a estudar o funcionamento e a estrutura dos HDs e com o passar do tempo e contando cada vez com mais recursos e experiência, começaram a ter sucesso na recuperação de dados perdidos ou apagados e logo estavam fazendo esse serviço para alguns amigos e depois para os amigos dos amigos e assim por diante.

Depois de trabalhar dessa forma durante alguns anos, atendendo apenas à conhecidos, esses irmãos abriram em 1991 a empresa ABCHD recuperação de dados e devido a seu grande conhecimento e experiência no ramo hoje tem clientes em todo o Brasil e alguns outros países como Japão, Alemanha, México, Estados Unidos, Portugal e Cabo Verde. Mesmo tendo se passado muito tempo e a tecnologia ter evoluído como evoluiu ainda acontecem os mesmos problemas do passado, ou seja, as pessoas ainda apagam seus arquivos por acidente como nas duas fitas que foram regravadas e os HDs apresentam defeitos como a fita que enrolou no gravador e hoje ainda temos Cartões de Memória, Pen Drive, HD Externo, Celulares e muito mais, a diferença é que hoje há solução para isso.

Todos os direitos reservadosrodapé